image/svg+xml image/svg+xml image/svg+xmlimage/svg+xmlimage/svg+xml O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?O que é mobile learning (m-learning)?

O primeiro smartphone foi lançado em 1992. Ele se chamava Simon Personal Communicator. Além de fazer chamadas, você podia usá-lo para enviar fax (!) e e-mails, gerenciar contatos e usar um calendário. Este ano é o 27º aniversário do Simon, o que significa que já temos a primeira geração de pessoas que cresceram com a tecnologia.

No entanto, não são apenas os nativos mais jovens; hoje em dia, todos nós consideramos as capacidades dos dispositivos móveis como um fato consumado. Além do mais, temos essa expectativa embutida de que “online” também significa “móvel”, sempre ao nosso alcance, certo? Uma experiência de aprendizagem não é exceção. Neste artigo, você aprenderá como as tecnologias móveis podem criar uma aprendizagem mais eficaz e engajante.

Então, o que é mobile learning?

Mobile learning, ou simplesmente m-learning, é quando a aprendizagem é sustentada por dispositivos móveis e os alunos usam eles para acessar o conteúdo em qualquer lugar e sempre quando quiserem. Existem duas partes nesta definição: a) Alunos e b) Dispositivos. 

Quanto ao item b), essa é fácil. Os dispositivos que permitem a mobile learning são os mesmos gadgets que todos temos no bolso: smartphones e tablets. Nós os usamos de tantas maneiras que se tornaram extensões de nossa personalidade; é natural que comecemos a usá-los para a aprendizagem também. Com o m-learning, os alunos podem estudar aulas atribuídas, videoaulas e fazer testes diretamente de seus dispositivos.

Ao mesmo tempo, a palavra “móvel” também se refere aos alunos. Para muitas pessoas, como trabalhadores de campo e representantes de vendas, a mobilidade é parte integrante de seu trabalho. Para outros, o deslocamento diário ou as viagens de negócios ocupam grande parte do tempo. Com a mobile learning, as pessoas não estão mais presas a determinados locais nem a horários específicos.

Como a mobile learning é diferente do e-learning?

O uso de um dispositivo móvel como plataforma de distribuição de conteúdo não é a única característica que distingue a mobile learning do e-learning. Os cursos de e-learning geralmente podem ser feitos por meio de dispositivos móveis, portanto, esse fato por si só não torna esses cursos “móveis.” Quais são as outras diferenças?

Propósito diferente

Embora o e-learning deva ser uma alternativa completa às sessões de sala de aula, o objetivo do m-learning é um maior suporte e diversificação do processo de aprendizagem. Você fornece aos alunos acesso instantâneo a pequenos e independentes blocos de informações, e eles estudam em trânsito ou sempre que têm um minuto livre. 

Vejamos o aprendizado de idiomas como exemplo. Se você precisa ensinar um tempo verbal, provavelmente gostaria de fazê-lo de uma forma estruturada para dar aos seus alunos uma visão holística do tópico. Portanto, uma lição de e-learning seria absolutamente correta para isso. 

Mas com a mobile learning, os alunos podem aprimorar seus conhecimentos, fazer alguns exercícios ou assistir a um pequeno vídeo. Eles também podem voltar a este tópico no momento de necessidade, digamos se estão escrevendo um e-mail e não têm certeza do uso correto do tempo verbal. Tudo isso torna o m-learning um estimulador para qualquer tipo de aprendizagem que garante maior retenção e envolvimento.

Diferente comprimento de uma aula

Para ter uma ideia de quanto tempo a aula deve durar, pense no contexto em que a aprendizagem acontece. Os cursos online tradicionais geralmente são feitos em um computador ou laptop em uma mesa, geralmente em um escritório onde há uma boa conexão wi-fi. A média das aulas de e-learning pode variar de 15 a 90 minutos, dependendo do ambiente de aprendizagem. 

O conteúdo desenvolvido para celulares deve ser dividido em unidades menores — 3 a 5 minutos — que são mais fáceis para os alunos acessarem em um smartphone. Claro, algumas pessoas também podem sentar à mesa com seus smartphones em mãos, mas é mais provável que o usem como previsto — por serem móveis. Dessa forma, o comprimento de uma unidade deve permitir que os alunos estudem enquanto esperam em uma fila ou entre as tarefas de trabalho.

Método com resultado diferente

Embora o e-learning não exija software especial para executar um curso e possa funcionar diretamente em um navegador, o m-learning precisa de um app em duas versões, pelo menos: para dispositivos iOS e Android. 

Como já dissemos, os cursos de e-learning podem ser visualizados em celulares com a ajuda de navegadores móveis. Então, deixando de lado a necessidade de dar zoom no conteúdo, por que precisaríamos de um app? 

Como os apps móveis nativos são projetados para um dispositivo, eles têm acesso aos recursos do sistema operacional e aos recursos que os apps da web não têm. Os apps móveis tornam a experiência do usuário geralmente mais agradável, com acesso à câmera, entradas de áudio, leitores de código de barras e outros sensores integrados. Os apps de m-learning também podem incluir recursos como a capacidade de fazer cursos offline, salvar o progresso e executar processos em segundo plano. 

Resumindo, o m-learning não é uma versão portátil menor do e-learning; é um meio de aprendizagem completamente diferente que afeta o conteúdo do treinamento.

O design de cursos m-learning é semelhante ao design de conteúdo de e-learning?

A resposta curta é Não. A restrição natural do design para dispositivos móveis é o tamanho de tela menor. Isso nos leva a duas coisas que devem ser consideradas antes do início do processo de desenvolvimento.

1. O método de entrada

O conteúdo de e-learning é criado para usar um minúsculo ponteiro do mouse, enquanto o conteúdo de m-learning é manipulado por um dedo. Isso significa que todos os elementos clicáveis da interface precisam ser maiores, para que não seja um desafio adicional para os alunos tocarem em um botão ou link.

2. A quantidade de conteúdo na tela

O tamanho da tela de um desktop pode ser de 19 a 34 polegadas. Em comparação, o iPhone XS Max, que atualmente é o MAIOR iPhone de todos os tempos, tem uma tela de 6,5 polegadas. Desta forma, você não pode se dar ao luxo de perder pixels em elementos sofisticados e deve incluir apenas o que for mais importante. A regra de ouro aqui é uma tela, uma ideia.

Design completo de um curso para desktops vs. design minimalista para celulares

Ao desenvolver cursos móveis, você só tem espaço para o que mais importa. 

Quais tipos de conteúdo de aprendizagem posso usar para a mobile learning?

1. Cursos online e questionários
Com a ajuda de cursos de aprendizagem online, você pode fornecer treinamento em uma ampla variedade de assuntos importantes. Se você pratica a aprendizagem combinada, você pode usar um pequeno curso móvel como conteúdo pré-trabalho ou pós-treinamento. Os questionários podem ser incluídos nos cursos ou ser avaliações independentes.

Se estiver interessado, aprenda mais sobre como criar cursos de e-learning.

2. Vídeo
95% das empresas usam algum tipo de vídeo para ensinar seus colaboradores. Para m-learning, é o tipo de conteúdo mais popular por duas razões. As pessoas ficam mais confortáveis consumindo conteúdo através de vídeos do que leitura ou escuta. Os vídeos reúnem uma grande quantidade de informações em um espaço curto; isso reduz o tempo de treinamento.

3. Podcasts
O conteúdo de áudio é um formato muito útil para o m-learning. Embora ele não disponha de elementos visuais, há muitas situações em que um componente visual não é de muita ajuda (ex., entrevistas com especialistas do assunto) ou podem ser uma distração (ex., enquanto dirige). Nesses casos, os podcasts podem ser uma solução simples e eficaz de m-learning.

Posso usar meus cursos de e-learning existentes para o m-learning?

Se você deseja que seus cursos sejam visualizados em dispositivos móveis, eles devem ser publicados no formato HTML5. Então, a resposta para esta pergunta depende principalmente das capacidades da ferramenta de criação que você usa, mas tecnicamente — sim, você pode. 

Por exemplo, se você criou seus cursos com iSpring Suite, seu conteúdo é fornecido por padrão com um player adaptativo. Isso ajusta automaticamente o conteúdo, os elementos de navegação e controla o tamanho da tela, para que os cursos tenham uma boa aparência em desktops, tablets e smartphones. É, talvez, a maneira mais fácil de converter rapidamente cursos e apresentações pré-existentes em conteúdo para celulares. 

Ao mesmo tempo, a tendência é criar conteúdo que priorize os dispositivos móveis. Portanto, embora você possa converter rapidamente os cursos existentes em cursos para celulares com ferramentas como o iSpring Suite, para fornecer aos alunos uma experiência melhor, pelo menos tente cumprir os requisitos básicos para o conteúdo de m-learning que mencionamos acima:

  • O conteúdo pode ser fornecido em pequenas partes.
  • Não inclui elementos muito pequenos.
  • Uma tela, uma ideia.

Qual é a diferença entre design adaptativo e responsivo?

Embora as diferenças entre os tamanhos de tela apenas aumentem, ainda existem apenas duas abordagens para resolver a questão. Talvez você já tenha ouvido falar sobre design adaptativo e responsivo.

  • O design adaptativo usa alguns layouts para vários tamanhos de tela. Pode haver layouts para smartphones, tablets e desktops; cada um deles é feito com antecedência. Quando um aluno abre um curso, o sistema detecta o tamanho da tela e mostra um layout específico. Se você sabe com certeza quais dispositivos (e seus tamanhos) seus alunos usam e não haverá novos modelos com parâmetros diferentes no futuro, a abordagem adaptativa é uma solução adequada.
  • O design responsivo usa um layout fluido. Não importa o tamanho da tela de seus alunos, o mesmo layout responde automaticamente a esse tamanho de tela: ele dimensiona e move elementos e ajusta a funcionalidade. Você não precisa fazer uma lista de dispositivos que seus alunos usam nem criar vários layouts, pois o design diminuirá ou aumentará suavemente — assim como Alice no País das Maravilhas!
A diferença entre design adaptativo e responsivo

Quais ferramentas posso usar para desenvolver
o m-learning?

Os componentes do m-learning podem ser visualizados como um triângulo onde os lados são:

  • uma ferramenta de criação,
  • um sistema de gestão de aprendizagem,
  • e um app.
Ferramentas necessárias para lançar m-learning

O ecossistema do m-learning

Uma ferramenta de criação permite criar cursos, apresentações, palestras, avaliações e simulações que você quer que seus alunos estudem. Ela deve ser capaz de publicar no formato HTML5. 

Um sistema de gerenciamento de aprendizagem serve como um centro de comandos onde você envia o conteúdo de treinamento, atribui-o aos alunos, monitora as estatísticas e cria relatórios. (A propósito, se você ainda não usa um LMS, temos uma postagem com explicações detalhadas e um guia para você escolher um). 

Um app móvel existe para garantir uma experiência de aprendizagem tranquila para os usuários finais. Eles o instalam a partir de lojas de apps em seus dispositivos e o usam para estudar os materiais atribuídos. 

Se usarmos as ferramentas iSpring para ilustrar o ponto, o ecossistema m-learning consistirá em:

  • iSpring Suite, uma ferramenta de criação que o ajuda a criar facilmente conteúdo pronto para celular;
  • iSpring Learn, um sistema de gestão de aprendizagem;
  • iSpring Learn, um app móvel gratuito para iOS e Android.

Devo começar a mobile learning na minha empresa?

A mobile learning (m-learning) pode ser vista como uma resposta a todas as necessidades de treinamento corporativo, mas valeria a pena fazer na sua empresa? Aqui estão alguns indicadores que o ajudarão a tomar a decisão certa. Marque cada tópico se servir para você. 

Seus colaboradores já são móveis

Para muitos empregos, não existem locais de trabalho específicos. Vendedores, consultores, trabalhadores dos serviços de transporte ou de manutenção estão muitas vezes em circulação, portanto a mobile learning já se enquadra em seus estilos de trabalho. 

Sua equipe é remota (total ou parcialmente) 

Existem várias combinações: sua equipe está espalhada pelo mundo, você tem filiais ou seus colaboradores vão ao escritório de vez em quando, se é que vão. Graças à internet, um colaborador pode estar em uma cafeteria, no home office, em uma espreguiçadeira e ainda estar “no trabalho”. 

Sua equipe é jovem 

A Geração Z (nascidos entre 1995-2010), cujos membros mais jovens já têm 11 anos, são as pessoas para quem um smartphone é uma experiência padrão e não uma novidade. 

Você tem menos tempo para treinamentos 

Vamos encarar a verdade, em um mundo cada vez mais multitarefa; há muito menos tempo para o treinamento tradicional, onde você estuda primeiro e aplica o conhecimento depois. A mobile learning permite que as pessoas usem momentos que seriam desperdiçados de outra forma para estudar algo útil para o seu trabalho e imediatamente aplicar o conhecimento recém-adquirido. 

Você precisa de uma solução para suporte ao desempenho 

Embora o m-learning possa não ser a melhor opção para ensinar algo do zero, ele mostra ótimos resultados como suporte extra. A mobile learning integra o fluxo de trabalho do mundo real e ajuda a orientar e treinar colaboradores quando e onde eles precisarem. 

Você precisa de treinamento mais rápido 

Manter uma vantagem competitiva requer treinamento frequente, uma vez que a tecnologia está mudando rapidamente e novos produtos, serviços e abordagens aparecem todos os dias. A mobile learning pode oferecer conhecimento em tempo real sempre que necessário.

Dicas para tornar a mobile learning ainda mais eficaz

A mobile learning pode definitivamente fornecer resultados surpreendentes para sua empresa. Aqui estão algumas dicas que ajudarão a torná-la ainda mais eficaz e engajante.

  • Use mecânicas de jogos. Torne a aprendizagem divertida adicionando gamificação. Com a maioria dos LMSs, você pode atribuir pontos baseados em notas e conclusão de testes e premiar com medalhas. Você também pode fornecer a seus alunos tabelas de classificação onde eles podem acompanhar seus resultados de aprendizagem e ver como eles se comparam a seus colegas de classe.
Gamificação no iSpring Learn
  • Diversifique seu conteúdo. Há vários tipos de conteúdo que podem ser usados para se adequar a diferentes estilos de aprendizagem, fornecer treinamento situacional, e transmitir informação. Por exemplo, você pode pedir a seus colaboradores para assistir a um videotutorial para aprenderem sobre um novo produto e seus recursos, fazer com que respondam a um questionário online para verificar se entenderam o material ou oferecer um simulador de diálogo para ajudá-los a dominar suas habilidades de comunicação.
  • Permita pausas. Configure seus cursos para dar aos alunos a capacidade de pausar o curso a qualquer momento e retomar de onde pararam, sem perder o progresso. Isso é útil se você estiver apresentando um curso extenso, pois nem todos os alunos poderão concluí-lo de uma vez.
  • Obtenha feedback. Obtenha feedback de seus usuários após a conclusão de um curso. Esta é uma ótima maneira de avaliar como qualquer curso está indo e se ele precisa ser melhorado. A oportunidade de expressar suas opiniões dá aos alunos a chance de se sentirem mais valorizados e engajados no processo. 
  • Recompense seus alunos. Reconheça as conquistas dos seus alunos concedendo um certificado após a conclusão do curso. Felizmente, muitos LMSs corporativos permitem que você faça isso automaticamente. Um certificado é um indicador de que todo o trabalho árduo e o tempo que eles puseram no curso não passaram despercebidos.

Você já experimentou a mobile learning na sua empresa ou está pensando em fazer isso? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

iSpring Suite
Crie cursos para m-learning agora
Saber mais
 

Comece a criar cursos online de forma rápida e fácil