image/svg+xml image/svg+xml image/svg+xml image/svg+xml image/svg+xml Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?Modelo ADDIE: Como desenvolver um curso e-learning em 5 passos?

Se você é designer instrucional ou trabalha na área da educação, conhece diversas metodologias para criar cursos online. Mas a mais testada e conhecida delas é o modelo ADDIE.

O modelo ADDIE fornece uma estrutura robusta para o desenvolvimento de treinamento, dividindo um projeto em fases distintas. Cada uma é concluída antes do início da próxima, o que ajuda a reduzir erros e retrabalhos.

Este artigo examinará cada fase do modelo ADDIE e descreverá como elas podem ser aplicadas ao desenvolvimento de um curso de e-learning.

Explicando o ADDIE 

ADDIE é um acrônimo (em inglês – Analysis, Design, Development, Implementation e Evaluation) para Análise, Design, Desenvolvimento, Implementação e Avaliação. É a metodologia ideal para projetar cursos online tradicionais com escopo e resultados definidos. Pode parecer um pouco assustador para os menos experientes, mas na verdade é um processo passo a passo muito simples. As cinco fases do modelo ADDIE são:

Modelo ADDIE explicado

As 5 etapas do modelo ADDIE

Vamos detalhar as cinco etapas do modelo ADDIE usando um curso real como exemplo para entender melhor o que deve ser abordado em cada fase. Antes de começar, é uma boa ideia dar uma olhada no curso final, para permitir que você veja como as etapas da metodologia ADDIE que seguimos se transformaram no produto final.

Etapa 1. Análise

Na etapa de Análise do modelo ADDIE, analisaremos todos os fatores necessários para desenvolver um curso que se encaixe no resumo do projeto. Não há uma lista prescrita do que deve ser incluído na fase de Análise, mas os resultados gerais incluem:

  • Objetivos: Quais são os objetivos da organização ou do indivíduo que oferece o treinamento? Isso pode ser descoberto considerando o problema que foi identificado e como o treinamento fornecerá uma solução para esse problema. Trata-se de qual resultado abrangente você deseja alcançar depois que seus colaboradores concluírem seu curso online.
  • Objetivos de aprendizado: O que você quer que seus alunos sejam capazes de fazer depois de concluir o curso? Estabeleça as ligações entre os objetivos do treinamento e os conceitos do mundo real do ambiente de trabalho para garantir a máxima retenção de informações.
  • Conhecimento atual: Que competências ou conhecimentos os formandos já possuem? Isso deve ser analisado para evitar a duplicação de conteúdo ou a oferta de informações redundantes.
  • Pré-requisitos: Quais habilidades e conhecimentos os formandos precisam ter antes de fazer o curso, para que ele seja eficaz?
  • Barreiras/problemas: Existem barreiras ao uso do e-learning como método de entrega? Por exemplo, se os alunos designados não tiverem acesso a uma determinada tecnologia, eles não poderão fazer o treinamento.
  • Dependências: Existe algo que possa impedir que seu curso seja concluído no prazo e dentro do orçamento? As dependências podem incluir acesso a especialistas no assunto ou a disponibilidade de infraestrutura de TI gerenciada por pessoas fora de sua equipe direta.

Etapa 2. Design

Esta etapa é a parte principal do design do curso ‘offline’, onde o conteúdo é mapeado como um curso. Nesta fase, vamos planejar e especificar o seguinte:

  • Esboço do curso: Cada módulo, seção e tópico necessário para atender aos objetivos do curso e do treinamento.
  • Recursos e mídia: A mídia e os recursos que serão usados para apoiar o esforço de e-learning, como imagens, narração, atividades de treinamento e questionários.
  • Conteúdo: O conteúdo do curso mapeado para o esboço do curso.
  • Avaliação: Como serão avaliados os alunos e a eficácia do próprio curso. Isso pode assumir a forma de uma pesquisa online ou feedback direto por e-mail ou telefone.

Esboço do curso

Se você criou alguns objetivos de aprendizado sólidos na primeira fase, essa etapa do modelo ADDIE deve ficar fácil. Enquanto mantém seus objetivos de aprendizado em mente, divida seu curso em uma hierarquia de conteúdo. A abordagem padrão é módulo > seção, mas existem várias maneiras de dividir um curso, então escolha a maneira que funciona melhor para você.

Storyboard

Agora que estabelecemos a estrutura do nosso curso, podemos começar a mapear as cenas do curso, muitas vezes chamadas de storyboard. O storyboard é um plano de curso que descreve o posicionamento dos textos, recursos visuais, interações, navegação e outros elementos que serão usados no curso de e-learning. Nesta fase, você pode não saber exatamente quais imagens, textos, etc. você vai usar, mas deve ter uma ideia do que quer que seja mostrado no curso.

Um storyboard pode ser criado de várias maneiras; por exemplo, pode ser um arquivo do Word, um conjunto de slides do PowerPoint ou Figma. Você pode até desenhar seu storyboard à mão, se preferir, como no exemplo abaixo.

Storyboard do curso de e-learning

Se você estiver usando uma ferramenta rápida de criação como o iSpring Suite Max, você pode decidir usar uma abordagem de design mais interativa – experimentando diferentes modelos e configurando layouts para criar um storyboard. 

Não importa que tipo de storyboard você use, o principal é que você tenha uma imagem geral do seu curso à sua frente.

Storyboard do curso online

Para o nosso curso, buscamos um design simples e acessível que seja rápido de desenvolver e forneça uma aparência limpa, de modo que nosso storyboard apenas mostre o que precisamos, títulos na tela, texto e recursos de imagem.

Roteiro

Nesta etapa, você precisa criar o texto que um aluno verá nos slides. Para tornar o curso realmente eficaz, você deve considerar as seguintes coisas:

  • Uma ideia por slide. Será mais fácil para um aluno se concentrar se houver um pensamento-chave que precise ser entendido em cada slide. Para transmitir melhor a ideia do slide, você pode usar diferentes formatos de conteúdo: narração em áudio, vídeo, gráficos de suporte e muito mais.
  • Apenas textos cruciais nos slides. Slides lotados de coisas podem confundir e sobrecarregar os participantes do curso. Corte palavras desnecessárias e reduza o conteúdo ao essencial. Além disso, evite deixar as linhas muito longas para facilitar a leitura dos alunos. Cada linha não deve ter mais de 40 caracteres.
  • Visualização perfeita em dispositivos móveis. Certifique-se de que o texto, assim como outros itens de conteúdo, fique bom nas telas pequenas de tablets e smartphones. 

Se o seu curso for mais complexo ou você pretende incluir narração ou TTS, você precisará escrever um roteiro de narração detalhado. No nosso caso, não precisamos de um script separado, pois estamos usando quantidades mínimas de texto na tela com recursos visuais fortes.

Branding e estilo

Agora que seu storyboard e roteiro estão prontos, é hora de pensar no design do curso. Todo o curso deve ser projetado no mesmo estilo – isso facilita a percepção. Você mesmo pode trabalhar no estilo: escolha cores, fontes e modelos de layout e mantenha-os ao longo do curso. No entanto, muitas empresas têm guias de marca ou guias de estilo de marca que fornecem diretrizes distintas para manter a identidade da marca em todos os aspectos de uma organização, incluindo o treinamento de colaboradores.

Os guias de marca geralmente incluem:

  • Fontes e tamanhos de fonte
  • Diretrizes de cores e branding
  • Posicionamentos e dimensões de imagens
  • Formatos e resoluções de imagem
  • Tom e linguagem

Os guias de estilo podem ser formatados como documentos do Word, criados como slides do PowerPoint ou apresentados em algum outro formato.

PowerPoint

Artes gráficas e mídia

A próxima etapa é montar todo o seu conteúdo com base no storyboard que foi criado na etapa anterior. Obtenha todas as imagens ou artes gráficas que correspondam ao seu estilo de design, adicione quaisquer videoclipes que pretenda usar e grave ou gere uma narração do seu script, se necessário.

Nesta fase, você pode optar por usar uma combinação da biblioteca de conteúdo em sua ferramenta de criação, um recurso online como o iStock ou seguir as diretrizes de sua empresa para obter recursos de design.

Para nosso curso de demonstração, tudo o que precisamos fazer é encontrar algumas imagens adequadas que ilustram o “programa de ônibus espacial”.

Criação de artes gráficas e mídia

Etapa 3. Desenvolvimento

Nesta fase do modelo ADDIE, ocorre o desenvolvimento real do que foi planejado na fase de Design. A maior parte dessa fase gira em torno da produção do curso de treinamento em qualquer ferramenta de criação selecionada para o projeto.

Existem muitas ferramentas de criação de e-learning no mercado que variam no tipo de conteúdo como resultado, na abordagem para a criação do curso e no nível de complexidade oferecido. Algumas delas podem precisar de vários meses para que você consiga dominá-la, mas também existem aplicativos que podem ser facilmente aprendidos – mesmo se você for iniciante.

Criamos o curso de exemplo com o iSpring Suite, que é uma ferramenta de criação fácil de usar que permite criar cursos no PowerPoint e depois transformá-los automaticamente em um formato online. Criar cursos com o iSpring Suite é o mesmo que criar uma apresentação do PowerPoint: você adiciona slides, digita seu texto e adiciona imagens ou vídeos.

Já temos todo o conteúdo necessário, basta adicioná-lo ao iSpring Suite e montar os elementos na ordem correta.

Criando um curso de e-learning no iSpring Suite

Lembre-se de que também usamos autoverificações ao final de cada um dos nossos dois módulos para criar engajamento e facilitar a retenção do material. Para isso, escolhemos uma pergunta simples de Verdadeiro/Falso. O aluno precisa selecionar entre duas opções e um feedback diferente é fornecido para cada resposta, como neste exemplo:

Criando um questionário online no iSpring Suite

Avaliação

O curso que foi produzido deve ser avaliado nesta fase para garantir que atende aos objetivos da organização identificados na fase de Análise.

Parte desse processo deve ser um teste completo do curso de e-learning para garantir que ele funcione conforme o esperado. Esse teste pode ser realizado por membros da equipe de criação, mas, idealmente, deve envolver usuários finais que realmente farão o curso.

Etapa 4. Implementação

Esta é a fase do modelo ADDIE em que o curso é lançado e disponibilizado aos seus alunos. 

A maneira mais fácil e conveniente de ministrar um curso é por meio de um sistema de gerenciamento de aprendizado (LMS). Um LMS permitirá que seus colaboradores acessem um curso online a qualquer momento, de qualquer dispositivo, e permita que sua equipe automatize muitas das etapas necessárias para a entrega do treinamento, como agendamento, convites, registro e armazenamento de resultados.

Se você não possui um LMS corporativo, pode experimentar o iSpring Learn, que facilita a configuração de todos esses processos.

Implementação do LMS

Para implementar nosso curso no iSpring Learn, basta carregar o pacote e aplicar as configurações necessárias.

iSpring Learn LMS interface

Etapa 5. Avaliação

Após a implementação do seu curso, é uma boa prática coletar feedback para garantir que o módulo de e-learning atendeu às necessidades da organização e dos alunos e que foi apresentado de forma eficaz. É melhor ver esta fase final como um processo contínuo de melhoria.

Você pode usar pesquisas online para obter feedback sobre um curso e experiência de treinamento dos alunos e das partes interessadas da administração.

Aqui estão algumas perguntas que você pode querer fazer aos participantes do curso:

  • O material de treinamento atendeu às suas expectativas?
  • Como você classificaria a qualidade do treinamento em uma escala de 1 a 5?
  • Você aprendeu algo útil?
  • Você recomendaria o curso para seus colegas?
  • O que poderia ter sido melhorado?

À medida que os alunos progridem no curso, continue monitorando as métricas e consulte os objetivos do curso identificados na primeira etapa. Aqui estão algumas perguntas para uma autoavaliação:

  • O treinamento abrangeu o conteúdo completamente?
  • Os objetivos do curso foram alcançados? Por exemplo, o agendamento de colaboradores para reuniões ou conversas online melhorou?
  • Os alunos ficaram satisfeitos com o curso?
  • O curso foi implementado de forma a permitir que os formandos o acessassem sem esforço?
  • O estilo e o branding do curso estavam de acordo com as expectativas das partes interessadas?
  • Todos os alunos matriculados concluíram o curso?

Engajamento do aluno

Além de enviar pesquisas de feedback do curso, você pode acompanhar os alunos para medir seu envolvimento. LMS com sistemas modernos de relatórios, como o iSpring Learn, fornecem métricas de engajamento que demonstram o quanto os alunos interagem com o conteúdo – e treinamentos complementares. Isso pode ser muito útil para medir o envolvimento do seu material e identificar slides ou tópicos com baixo desempenho.

Por exemplo, se um slide com duas interações com guias, como o slide Kanban e Pomodoro em nosso curso de exemplo, tiver apenas uma taxa de conclusão de 50% para visualizar as duas guias, pode ser uma boa ideia adicionar instruções na tela sobre como usar o conteúdo ou considere apresentá-lo de forma diferente; talvez fosse muita informação em um único slide para prender a atenção dos alunos.

Engajamento do aluno

Taxas de conclusão do treinamento

Seu LMS deve lidar com isso para você e permitir que você monitore o progresso do aluno e gere relatórios automáticos de conclusão, bem como pontuações de avaliações ou questionários.

Training completion rates

Perguntas frequentes

O modelo ADDIE é a melhor metodologia de desenvolvimento de e-learning?

Boa pergunta. A melhor metodologia é aquela que combina com você e sua organização. O modelo ADDIE é uma estrutura muito eficaz e foi testada ao longo de muitos anos. No entanto, existem alguns tipos de projetos de treinamento que podem se beneficiar de uma abordagem diferente.

Por exemplo, programas de microaprendizagem criados para entrega em dispositivos móveis e por meio de conteúdo de formato curto podem se beneficiar de uma abordagem mais iterativa, como o desenvolvimento Agile. Outras metodologias que você pode considerar incluem o modelo 70:20:10.

As fases do modelo ADDIE devem ser concluídas em ordem?

Idealmente, a resposta para isso é sim, pois foi assim que o modelo ADDIE foi projetado. Ele garante o encerramento e a aprovação de uma fase, o que significa que tudo está pronto para passar para a próxima fase sem problemas não resolvidos.

Na prática, nem sempre isso é possível. Por exemplo, você pode ter concluído o projeto do seu curso, mas há uma seção específica que requer material de um SME que não está disponível no momento. Nesse caso, você deve colocar todo o projeto em espera até que eles entreguem seu conteúdo ou passar para Desenvolvimento e voltar para a seção de design quando o recurso estiver disponível?

Não há resposta certa ou errada para isso, mas no mundo real, as fases do projeto nem sempre terminam perfeitamente antes do início da próxima, então você precisará usar seu julgamento aqui.

Minha ferramenta de criação é adequada para usar o modelo ADDIE?

As metodologias de desenvolvimento de e-learning devem ser independentes de ferramentas, portanto, teoricamente, qualquer ferramenta de criação que você escolher deve funcionar bem. Na prática, o modelo ADDIE é ideal para ferramentas que suportam cursos baseados em slides, como o iSpring Suite, pois essas ferramentas incentivam você a formular dentro do formato ADDIE e aplicar os princípios na ordem correta para separar as fases.

Conclusão

O modelo ADDIE é ideal para design instrucional de e-learning, pois fornece um processo direto que o autor ou a equipe de desenvolvimento pode seguir, garantindo que coisas importantes não sejam esquecidas ou negligenciadas.

Com o treinamento online geralmente sendo desenvolvido rapidamente para responder às mudanças organizacionais, um modelo simplificado que mantém o processo de criação consistente e transparente oferece muitos benefícios.

Para começar a criar seu primeiro curso usando o modelo ADDIE, você precisará de uma boa ferramenta de criação. Não hesite em baixar o teste gratuito do iSpring Suite e começar a criar seu curso hoje mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

iSpring Suite
Experimente iSpring Suite para criar cursos no modelo ADDIE
Saber mais
 

Comece a criar cursos online de forma rápida e fácil